sábado, 5 de janeiro de 2013

O Silenciar-se


A origem da palavra silêncio vem do Latim silentium e significa “ato de estar quieto”, mas para estarmos quietos de maneira saudável isso deve solicitar o desenvolvimento de certa capacidade. Somos o tempo todo estimulados a não ficar quietos. Convites sedutores de satisfação prazerosa nos cercam; desde as falsas amizades no convívio cotidiano, até a propaganda no outdoor.
Conseguir ficar quieto é sinal de maturidade emocional (sobre tudo, levando em conta as configurações sociais contemporâneas). 
O silêncio é um símbolo da paz interior, que por sua vez é fundamental para um bom funcionamento mental. A mente só pode trabalhar de maneira saudável se puder contar com o espaço/tempo do silêncio. Uma mente conturbada por ruídos internos ou externos, que exigem a atenção, não pode desempenhar bem seu funcionamento.
A concepção de ambientes que possam proporcionar o silêncio é fundamental para o desenvolvimento dos pensamentos assim como da ação do pensar. E quando falo de ambiente, me refiro tanto ao ambiente físico, quanto ao ambiente emocional. A busca pelo distanciamento de vínculos ruidosos e exigentes parece ser o que proporciona o cultivo do silêncio interior.
Através da criação e manutenção de vínculos saudáveis é que se abre o caminho para cultivar o silêncio. Vínculos ruidosamente exigentes impedem o cultivo do silêncio, pois tiram a atenção voltada à paz interior e em consequência disso prejudicam diretamente o desenvolvimento mental. O ruído externo tem resultado interno como consequência,  isso pois, continua ecoando dentro da mente, mesmo depois de cessado o ruído externo. Arma-se então um ciclo mórbido, onde vínculos tóxicos empobrecem a mente que, por sua vez, torna-se incapaz de escolher por silenciar-se.
Entretanto, a experiência do silêncio abre caminhos para várias suposições e muitas delas equivocadas. O silêncio como experiência benéfica deve surgir como extensão de certo movimento que ao mesmo tempo, tem como objetivo a saúde mental e também depende dela para se manter. Para que dessa maneira possa proporcionar a criação de recursos na preservação da saúde dos vínculos. Sem dúvida em muitos casos, silenciar-se frente a uma situação pode ser um sinal de incapacidade de responsabilizar-se quanto a aquilo que ocorre, num ato de covardia, ou mesmo na prática de certa conveniência perversa, que longe de proporcionar a saúde, só faz empobrecer os vínculos.
Porém, silêncio é sempre uma boa resposta defensiva aos convites para certos modelos de relações empobrecedoras, ou mesmo relações tóxicas. Diante de uma agressão verbal, por exemplo, silenciar-se pode ser muito interessante como medida para que certo vínculo de hostilidade não se desenvolva.
Mas, silenciar-se frente à agressão externa é uma tarefa inviável se existir uma agressão interna acontecendo. Não pode silenciar-se para o outro aquele que não é capaz de silenciar-se para si mesmo. Costumo dizer que, não pode ser boa companhia para o outro aquele que não se tornou uma boa companhia par si mesmo. Ao silêncio isso é perfeitamente aplicável.
Seja benéfica ou venenosa, a definição da ação de silenciar-se deve depender da capacidade mental constituinte da maturidade emocional. O silêncio pode significar a extensão do cuidado em preservar a paz interior, mas pode muito bem representar uma espécie de apatia ou insensibilidade daquele que se revela incapaz de responsabilizar-se por suas ações e se vê impossibilitado de cultivar boas relações. 

-- 
Prof. Renato Dias Martino 
Psicoterapeuta e Escritor
São José Do Rio Preto - SP
Fone: 17-30113866 
renatodiasmartino@hotmail.com
http://pensar-seasi-mesmo.blogspot.com

2 comentários:

Eder Juno disse...

Com esse texto você fez-me lembrar da qualidade desse ato como um todo, Parabéns.

Mario S. Deggas disse...

Ola Professor.
É extremamente difícil ficar em silencio, é preciso até de pratica já que em todos os momentos somos bombardeados por estímulos vindo de dentro ou de fora, seja nossas ansiedades e fobias, seja ruídos dos Funk's da vida, dos luminosos, das pessoas, casas, TV e Radio, etc.
como silenciar o interior?